De novo, nos pênaltis. Três dias depois de ter perdido a Supercopa para o Flamengo nas cobranças finais, o Palmeiras voltou à marca do pênalti na Recopa Sul-Americana e mais uma vez saiu sem a taça: perdeu por 2 a 1 para o Defensa y Justicia no tempo normal, na noite desta quarta-feira, em Brasília, e depois de 30 minutos sem gols na prorrogação acabou derrotado também nos pênaltis, por 4 a 3 – a equipe argentina, atual campeã da Copa Sul-Americana, fez história e conquistou mais um título inédito para sua galeria. Luiz Adriano e o goleiro Weverton perderam pênaltis na disputa final, enquanto Gustavo Gómez errou uma cobrança na prorrogação. No tempo normal, Raphael Veiga foi quem abriu o placar (também de pênalti!), mas o Defensa virou com gols de Braian Romero e Benítez, este nos acréscimos do segundo tempo. Ao Verdão, hora de pensar em Paulistão e Libertadores. 

Depois de 120 minutos brigados, faltou perna nas penalidades máximas. Enquanto o Defensa y Justicia foi perfeito e não deu chances a Weverton em quatro cobranças, o Verdão falhou com Luiz Adriano, em pênalti defendido por Meza, e o próprio Weverton, em chute no travessão. Gómez quase errou de novo, mas foi ajudado por um efeito da bola que a levou para além da linha de gol. Gabriel Menino e Rony marcaram.



Outras notícias

WhatsApp

Utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, de acordo com a nossa [Política de Privacidade], o que pode acarretar no tratamento de dados pessoais. Ao continuar navegando, você concorda com as condições.

;